quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Aonde escrever?

Tem gente que acha que livro bom é aquele que foi escrito a mão, já outros acreditam que um teclado e um bom programa são tudo que você precisa para começar o seu romance, conto, poema.

Então para ajudar aqueles que querem passar o seu manuscrito a limpo ou que querem escrever o próximo livro que eu vou amar no seu computar, trago três locais na internet para você escrever em web 2.0.


O primeiro e talvez o mais conhecido dentre os aplicativos é o Google Docs. O serviço é do todo poderoso Google e quem tem uma conta de e-mail da empresa já pode usar, seu cadastro está feito. As vantagens dele sobre o Word são: ele grava todas as alterações que você faz. Se daqui a sete meses você quiser ver como era o seu trabalho hoje é só clicar em “história da revisão”, que fica em arquivo e o programa te dá os detalhes do que você fez e quando você o fez. Além disso, o texto fica armazenado online. Se você se encontrar no meio da cidade, perto de uma lan house e algumas horas para matar é só entrar e começar a escrever, seu arquivo vai onde a internet está.



Outro aplicativo é o Novlet. A idéia deles é um pouco diferente da do GDocs. Enquanto a Google quer substituir o Word, o Novlet quer ser uma alternativa para grupos que desejam escrever algo de forma colaborativa. E, além de escrever, você pode ler as histórias das outras pessoas que escrevem no site e dar o seu pitaco, mudando o fim ou até mesmo o enredo. Lá, as histórias são divididas em passagens, seções de texto usualmente feito de alguns poucos parágrafos. Além disso, o Novlet tem ferramentas que lembram uma rede de relacionamentos como amigos, mensagens, usuários favoritos. Com base nisso, permitem que os leitores comentem e dêem nota às passagens, que são classificadas por tema.



Já o Portrayl, que em inglês, tem uma proposta parecida com a do Novlet, mas não permite que as pessoas toquem o texto que você escreveu. Tudo que os outros podem fazer é acrescentar capítulos que ficam vinculados aos seus, mas sem mudar o que já foi feito. Quando você acaba o que fez, o aplicativo faz um e-book em PDF do seu trabalho. Os leitores podem comentar e dar notas nas histórias, que são classificadas por tags e no Portrayl também há algumas ferramentas de rede de relacionamentos.

2 comentários:

Augusto Pinho disse...

O primeiro sistema desse tipo foi lançado pela já extinta NuoMedia (http://findarticles.com/p/articles/mi_m0EIN/is_2000_Jan_11/ai_58526811).

Outra curiosidade, o google docs é uma evolução do Writely, empresa comprada pela google que oferecia o editor de texto e de planilha. Um das maiores evoluções criadas pelo google nesse sistema, na minha opinião, foi a possibilidade de edição offline.

Outro famoso eh o zoho (http://www.zoho.com/).

Alexei Fausto disse...

Bacana.