terça-feira, 10 de junho de 2008

Será que vale a pena manter o Domínio Público?


Mais uma vez está rolando e-mails de súplica para que ajudemos o domínio público a ser mantido, pois são tão poucas pessoas que visitam o site que ele periga fechar.
Eu recebi o seguinte e-mail:

Uma bela biblioteca digital, desenvolvida em software livre, mas que está prestes a ser desativada por falta de acessos.
Imaginem um lugar onde você pode gratuitamente: · Ver as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci ; · escutar músicas em MP3 de alta qualidade; · Ler obras de Machado de Assis Ou a Divina Comédia; · ter acesso às melhores historinhas infantis e vídeos da TV ESCOLA · e muito mais.... Esse lugar existe! O Ministério da Educação disponibiliza tudo isso,basta acessar o site: www.dominiopublico. gov.br Só de literatura portuguesa são 732 obras! Estamos em vias de perder tudo isso, pois vão desativar o projeto por desuso, já que o número e acesso é muito pequeno. Vamos tentar reverter esta situação, divulgando e incentivando amigos, parentes e conhecidos, a utilizarem essa fantástica ferramenta de disseminação da cultura e do gosto pela leitura.

Depois de ler a mensagem eu fiquei pensando que isso era muita sacanagem. Como a gente pode perder tudo isso? Para mostrar o meu apoio eu fui lá dar uma olhada e ver se eu tinha interesse em algo.

Infelizmente eu só descobri um site do governo. Com buscas que te impedem de achar o que você quer e um formato feio que dá vontade de ir embora. Como eles esperam que pessoas deem valor em um site que não foi pensado para ser proveitoso e sim uma local de simples consulta?

Não acho que o domínio público vai acabar, mas se eles quiserem mais visitas é bom eles começarem a se esfoçar e fazer um design mais bonito e uma página mais fácil de usar. E, de preferência, não colocar o Machado de Assis na capa. Já disse antes e repito, quem gosta de Machado de Assis é professor de literatura.

2 comentários:

JOÃO RENATO disse...

Site inútil
qualquer um baixa isso em qualquer outro lugar sem gastar dinheiro público

Henry Alfred disse...

Apesar de o projeto ser interessante e ter obras que não se encontra em outro sites (neste ponto discordo do joã renato, a obra completa de Simão Lopes Neto, por exemplo, só encontrei lá.), o site é muito tosco mesmo.

Além disto, as digitalizações dos textos são bizonhas, cheias de erros ortográficas, com "sujeiras", pontuações trocadas.

Bem, mesmo assim, é uma mão na roda. Imagino que eu deva ser um dos únicos a visitá-lo, pelo jeito.