quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Séries de livros sem numeração


As séries estão dominando as livrarias, principalmente quando se trata de livros YA (Young Adult). Pelo que eu ouvi dizer, se não for uma série não serve para as editoras. Até aí tudo bem, eles que sabem o que vende. O problema chega quando você vai na livraria, compra um exemplar lindo, vai para casa, faz o chocolate quente e ao sentar descobre que você comprou o número dois ou sete da série.

Plano abortado. Pode beber seu chocolate quente com a raiva crescendo dentro de você, pois ele só vai queimar sua língua enquanto você fica se perguntando por que eles só escreveram que o livro era parte de uma série do na página oito em letras de bula. E nem pense em descontar no vendedor. Eles não sabem nada dos livros.

Dias depois você pega a sua cópia e volta para a livraria. "Gostaria de trocar pelo número 1 da série", você diz. A vendedora procura, chama o gerente e faz uma confusão enquanto você fica lá com cara de tacho. "Nós não temos o livro 1, senhora". "Como assim??", você briga. A vendedora não vai saber explicar, mas eu te ajudo. Como as séries não tem os números bem demarcados, alguns compradores das lojas (aqueles que fazem o estoque) não percebem que são séries e compram o número 2, 3 ou 8 sem nem sequer saber que existia um número 1.

Graças a isso eu acabei de chegar na metade de um livro só para descobrir que ele era o segundo de uma série. Com um outro livro eu descobri a tempo e vou ter que voltar para trocar. Enquanto isso, fico aqui, com os números dois de cada série, sem ter nada para ler...

Imagine um mundo onde tudo está explicado e cada livro vem com uma plaquinha falando qual é o seu lugar dentro de uma série. Imagine a utopia.

4 comentários:

JOÃO RENATO disse...

Ótimo post!
O maior problema é mesmo os vendedores não saberem nada sobre livros... se estivessem em um açougue ou uma sapataria, daria na mesma. Eles deveriam ao menos ler o que estão vendendo!

JOÃO RENATO disse...

Relendo, acho que generalizei. Para não ser injusto, tem um ou dois vendedores que sabem do que estão falando, principalmente em sebos.

Alexei Fausto disse...

O foda é que os vendedores das grandes lojas são pessoas que precisam trabalhar não necessariamente são amantes dos livros, eles só conseguiram um emprego, deviam é ser treinados direito pela loja, e o responsável pela compra deveria se preocupar com a lojistica da compra.

Mariana Patrício Melo disse...

são poucos os vendedores que sabem dos livros. é de ficar com raiva mesmo pegar o segundo em vez do primeiro :/