domingo, 30 de novembro de 2008

Que tipo de livro você gosta?


Poucas vezes eu venho aqui sem um link para vocês clicarem e hoje é um desses dias. Foi mal, eu sei como é bom continuar andando, navegando e aqui estou eu cortando a sua onda. Mas é por um bom motivo!

Como todo mundo pode perceber, eu gostei, muito muito mesmo, do livro da Stephenie Meyer. Achei fenomenal. Ainda mais depois que descobri que ele saiu de um sonho e que foram seis meses desde começar a escrever até editar, encontrar uma agente e ser publicada. Como se o universo não pudesse esperar para que esse livro saísse!

Mas apesar de eu ter amado ele, tem gente que acha que esse livro bacana é vagabundo. Assim como todos os livros que você só precisa ler uma vez para entender o que o autor disse e não precisa começar um clube do livro para desvendar o que o autor realmente quis dizer.

Mais uma vez me expondo aos cruéis críticos da internet, eu admito! Gosto mesmo é dos livros de gêneros considerados B. Ficção Científica (isso é um gênero? SIM!), livros de garotas, bruxas e vampiros, realismo fantástico (esse a galera chatonilda até acha bacana), diários.

Isso inclui os perturbadores livros de Anne Rice, os divertidos de Marion Zimmer Bradley, os sobre o nosso terrível futuro de Isaac Asimov, o universo fantástico de J. K. Roling ou o de Philip Pullman e, mais recentemente os chamados de Young Adults (YA) como Tithe de Holly Black e Crepúsculo de Stephenie Meyer.

Não estou fazendo pouco caso de livros densos e que têm grandes significados escondidos em suas metáforas. Eu respeito isso. Meu problema é a falta de respeito com os livros que são leves. Afinal, eles não são necessariamente superficiais. Às vezes o autor escreve tão bem que consegue nos fazer entender facilmente um conceito complexo.

Rice e Bradley, por exemplo, falam de temas espinhosos na nossa sociedade, como, por exemplo, homossexualismo, vontade de viver para sempre, aborto, machismo, autocontrole, sem cair nas metáforas eternas, sem estabelecer um raciocínio rococó e sem parecer um livro de auto-ajuda. Não sei quanto a vocês, mas eu acho que isso tem grande valor. Então por que as pessoas continuam a julgar o autor pela dificuldade que têm de entender o que ele escreve? Por que o prêmio Nobel vai para livros que são de difícil entendimento?

Só por curiosidade: Que tipo de livro você gosta?

5 comentários:

Alexei Fausto disse...

Curti.
eu gosto de ficção científica, romances históricos, fantásticos, diários (desde que não sejam de meninas), gosto de alguns dos "prêmio nobel", e gosto de muitos outros, tipo o Bukowski, os de história (não muito dos escritos por jornalistas que não têm embasamento teórico, os jornalistas embasados são bons).

JOÃO RENATO disse...

difícil essa... de monteiro lobato a livro técnico de jornalismo, passando pelos beats, bukowski, fernando sabino, ficção científica e livro-reportagem...

Ana disse...

Ficção científica, histórias de amor, histórias de julgamentos e tribunais, histórias de hospitais e doenças e curas... só porcaria!

hehehehehe
bjos!

Augusto Pinho disse...

Eu nao gosto de livros de vampiros .... :-)

Rosi disse...

Puxa outro dia estava pensando nisso, não tenho um estilo favorito, mas gosto muito de contos e crônicas, biografias, e romances. Meus amigos dizem que eu só leio coisas estranhas... gosto de histórias diferentes!!!

ps. Também gostei dos livros da Meyer, mas confesso que foi só por causa do romance!